quinta-feira, 3 de março de 2011

Depois daquela fotografia

Nina a menina,
Acolhe-a em teu abraço
Que é o teu colo, que a faz pequenina.
Tão mulher e ferina,
Tão senhora dos seus passos,
É só pequena menina,
Envolta em seus braços.

Naquela fotografia,
Nem selvagem, nem vadia,
Todas eram ela.
Mulher, peregrina,
Noutras vezes menina, a cantar uma canção só pra ela.

Nunca estava nua.
A pele despida escondia ainda,
Segredos proibidos em seus densos olhos.
Nina, a menina, nina.
Tira os teus sapatos, embala-a em seus braços,
Aquece teu corpo.

Leva teu cheiro,
Ensopa a camisa -
Que é seu consolo nos dias frios,
Onde ela é só fotografia.

5 comentários:

Thiago disse...

Ah.... eu gosto de todos mesmo!!!! Nem vou falar mais nada!!!

Sarah disse...

Nossa que lindo, te ví no orkut de um amigo e lembro que já ouvi falar de você. Perfeito teus poemas, encantadores e de uma natureza única. Escrevo também algums e publico em um site, o recanto das letras. Grande abraço e lindas ispiraçoes para você. Continuarei a visitar.

Indhira A. disse...

Olá Sarah, muito obrigada. Manda teu link, quero te visitar! Beijos.

Sarah disse...

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/sarahab

Aqui está o link , abraços e aguardo uma visita ^^'

Eva disse...

Isso foi pr amim né...Eu sei q foi..Eu sei q foi...Eu sei que foi..Eu sei q foi...LINDO!!!!!!!!!!! Eva.